Brasil fecha a participação no Latino-Americano Sub-11 e Sub-13 com duas medalhas de ouro

31/10/2018 01:47

Leonardo Iizuka e Thiago Uieda conquistaram os títulos de duplas e equipes masculinas, em competição realizada na República Dominicana

 

Santo Domingo (DOM), 31 de outubro de 2018.

Por: Assessoria de Comunicação – CBTM

O Brasil terminou a participação no Campeonato Latino-Americano das categorias Sub-11 e Sub-13, em Santo Domingo, na República Dominicana, com duas medalhas de ouro. Leonardo Iizuka e Thiago Uieda conquistaram os títulos dos torneios por equipes e duplas masculinas. A competição terminou nesta terça-feira (30).

Iizuka e Uieda, que já haviam brilhado na competição por equipes, foram absolutos também nas duplas. Os adversários na decisão, realizada na noite de segunda-feira, foram os mexicanos Rogelio Castro e Jorge Buenrostro, vencidos por 3 a 1 (8/11, 18/16, 11/8 e 14/12).

No Sub-13, a dupla Jorge Alcântara e Levy Neto foi eliminada nas oitavas de final, assim como Sabrina Miyabara e Lais Kurotobi.  No Sub-11, Augusto Andrade e Felipe Okano foram eliminados nas oitavas de final, enquanto Karina Shiray e Beatriz Fiore caíram nas quartas.

Nas duplas mistas, o melhor desempenho foi da dupla Leonardo Iizuka e Sabrina Miyabara, que ficou entre os oito primeiros do Sub-13. Thiago Uieda e Lais Kurotobi terminaram a participação nas oitavas. No Sub-11, as parcerias Hamilton Yamane/Beatriz Fiore e Augusto Andrade/Karina Shiray foram eliminadas na fase de 32.

O torneio individual também não teve medalhas brasileiras. No Sub-11, Felipe Okano e Augusto Andrade saíram do torneio nas quartas de final, Hamilton Yamane e Karina Shiray nas oitavas, e Beatriz Fiore na fase de 32. Na categoria Sub-13, Leonardo Iizuka, Thiago Uieda e Sabrina Miyabara foram batidos nas oitavas de final, Jorge Alcântara e Lais Kurotobi na fase de 32, e Levy Neto na fase de grupos.

Na contagem geral, o Brasil terminou em quinto lugar no torneio. O técnico Andrews Martins considera que o mais importante foi o trabalho de renovação da Seleção Brasileira.

“Foi o campeonato mais forte que já participamos. Todos os países vieram muito fortes, inclusive alguns menos tradicionais, como Venezuela e Santa Lúcia. Viemos com a maior parte da equipe de novatos. Só tínhamos cinco atletas que já tinham viajado internacionalmente. Fica um legado e a certeza de que o processo de renovação está começando mais uma vez. O ponto positivo foi o crescimento do Thiago Uieda, que chegou no mesmo patamar do Leonardo Iizuka”, analisou.  

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) - Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal - Ministério do Esporte.
 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Comunicação da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa - CBTM

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

imprensa@cbtm.org.br

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

                                                         

Siga a CBTM nas redes sociais:
 
FACEBOOK:
 www.facebook.com/cbtenisdemesa

TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm

INSTAGRAM: @cbtenisdemesa